Como fazer mudas – Como cultivar Cenoura – Daucus carota

Como fazer mudas – Como cultivar Cenoura – Daucus carota

Nome científico: Daucus carota.

Nome popular: Cenoura.

Família: Apiaceae.

Origem: Europa, Ásia.

Características gerais:

– Trata-se de uma hortaliça herbácea, de raiz tuberosa, comestível, de ciclo de vida anual, que poderá atingir mais de 0,5 metros de altura.

– A planta apresenta raiz cilíndrica, geralmente longa na cor predominatemente alaranjada, mas, há cutivares de raiz média e curta e com cores diferenciadas entre: amarela, branca, vermelha e roxa.

– Com textura macia e paladar agradável, a cenoura é consumida, geralmente, in-natura.

– Os principais cultivares são: Brasília, Nantes, Flaker, Chantenay, Nova Carandaí, Danvers, Kuroda, Kuronan, Alvorada, Tropical, Prima, Harumaki Kinko, Gossum, etc.

Clima:

Planta adaptada ao clima: Equatorial, Tropical, Subtropical e, deverá ser cultivada a céu aberto e sol pleno.

– A temperatura ideal para germinação das sementes deverá oscilar na faixa entre 20 e 30°C.

– Temperaturas acima de 30°C podem prejudicar o crescimento das plantas e o sabor das raízes.

– No inverno, as plantas desenvolvidas podem suportar baixas temperaturas, pois as raízes sobrevivem mesmo quando a folhagem morre, mas, rebrotam, assim que a temperatura voltar a aumentar na primavera.

Solo:

– O solo deverá apresentar textura média, ser fértil, fofo, enriquecido com matéria orgânica e, totalmente drenável.

– O solo deverá ser fofo para o rápido desenvolvimento das raízes tuberosas da planta.

– O pH do solo deverá oscilar em torno de 6,0.

Propagação:

– A multiplicação da planta se dá através de sementes.

– As sementes deverão ser semeadas em canteiros, diretamente em local definitivo.

Preparação dos canteiros:

– O solo dos canteiros deverá ser revolvido, em média, com 30 cm de profundidade.

– Adicionar 30 litros/ m² de esterco animal bem curtido.

– Homogeneizar o composto, formando os canteiros com 1,0 a 1,20 metros de largura, para facilidade de manejo.

– Os canteiros deverão ser levantados, em média, 20 cm com relação ao nível do solo, para facilitar a drenagem de água.

– As sementes deverão ser semeadas diretamente no solo dos canteiros, em sulcos com, em média, 2 cm de profundidade e, cobertas com uma camada fina de solo peneirado.

– O espaçamento entre sulcos deverá ser, em média, de 20,0 cm.

– Regar com jato leve de água para não desenterrar as sementes.

– Manter o solo dos canteiros umedecido, sem provocar alagamentos.

– A emergência das sementes ocorrerá dentro de 3 semanas.

– Quando as plântulas atingir, em média 5,0 cm de altura deverá ser feito raleamento, deixando um espaçamento, em média, de 5,0 cm entre plantas.

Regas:

– Manter o solo sempre úmido, sem encharcamento.

– As regas deverão ser feitas pela manhã e/ou a tarde, quando o sol estiver com tempertura mais amena.

Colheitas:

– A colheita ocorrerá entre 80 a 120 dias após a semeadura

– Caso ocorrer atrasos no período da colheita as raízes tuberosas se tornarão fibrosas e a planta entrará no peródo de floração para produção das próprias sementes. (Flores de cor branca em forma de inflorescência).

Tratos culturais:

– Retirar erva daninha e outras plantas concorrentes com espaço e nutrientes.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *