Como fazer mudas de amora preta

Como fazer mudas de amora preta

 

A amoreira preta é muito  fácil de fazer a multiplicação de mudas (propagação da amoreira). Através do método de estaquia, (clones da planta mãe).

– Prepare os balainhos (sacos  plásticos com terra fértil ou substrato).

– Escolha uma amoreira saudável, com frutos abundantes e adocicados.

– Corte ramos com aproximadamente  30 cm de comprimento e mais ou menos  um centímetro de diâmetro, (ou seja: pouco mais espesso que o dedo mindinho).

-Espetar as estacas da amoreira nos sacos plasticos (enterrando-os  aproximadamente até a metade , observar que:  a parte  da haste que deverá ser enterrada  (para enraizamento), deverá ser a parte de baixo  do galho em que foi cortada) o restante ficará  exposto  para brotação.

-Colocar os balainhos  em local com meia sombra (pode ser em baixo de árvores).

– Manter  as regas diárias, o local com bastante umidade porém, sem enchacamento.

-Esperar as estacas brotarem (mais ou menos de 2 a 3 meses).

– Só após as mudas estarem bem ramificadas deverão ser  transplantadas  em locais definitivos.

 

Propriedades medicinais e terapêuticas da amora.

Rica em vitamina A e C.

 

Adstringente natural : Ao permitir a contracção dos tecidos, ajuda no combate a inflamações da boca, da garganta, dos intestinos, assim como dos órgãos genitais.

Antidiarreico poderoso: Utiliza-se assim as folhas, os rebentos e as raízes das amoreiras como tratamento da diarréia e da disenteria.

Propriedade de anti-envelhecimento: a amora possui  um grande teor em antioxidantes. Estes não se limitam a proteger o coração. Têm uma ação benéfica sobre todo o nosso organismo, reduzindo assim os efeitos do tempo sobre o nosso corpo, preservando todos os nossos órgãos contra a passagem do tempo. Os antioxidantes são altamente benéficos para o nosso metabolismo.

Propriedades estimulantes: protege sistema nervoso, e isto porque melhora o funcionamento do nosso cérebro. Esta característica já foi evidenciada em vários estudos científicos. Comer amoras ajuda na conservação do equilíbrio, da memória e da coordenação motora.

Prevenção de infecções urinárias. Neste caso, são utilizadas as flores da planta, as quais são extremamente diuréticas e facilitam a eliminação da urina permitindo assim o tratamento das vias urinárias.

Dores de garganta: O sumo da amora também é particularmente aconselhado a quem sofre de dores de garganta, de rouquidão, de uma inflamação das cordas vocais, das gengivas, de aftas ou de uma amigdalite, como já vimos. Neste caso, para que o efeito seja perfeito, o melhor é mesmo tomar o sumo de amora quente com um pouco de mel.

Obs:-Os benefícios todos associados à amora devem-se evidentemente à sua composição altamente nutritiva. A amora contém assim uma grande percentagem de fibras, de vitamina C, de vitamina K e de ácido fólico. Pouca calórica, é um ingrediente a incluir na nossa dieta para que possamos usufruir de todos os benefícios e viver melhor a nossa vida.

Como fazer mudas de jabuticabas

As sementes de jabuticabas não podem secar por muito tempo, senão a grande maioria delas, desidrata-se  perdendo o poder germinativo.

Cuidados para fazer mudas através de sementes.

Passo a passo das sementeiras. (dicas para amadores)

– Colher as jabuticabas bem maduras.

– Despolpá-las com as mão, ou seja: arrebentar a casca para poder lavá-las, retirando o excesso da polpa branca adocicada. E evitar contaminação por insetos e fungos.

– Colocar as sementes em uma peneira em lugar sombreado, por um ou dois dias, num processo de cura da membrana externa, (casca da semente) e também para enxugar o excesso de umidade.

– Preparar um canteiro em lugar sombreado com boa luminosidade, na parte da manhã e à tarde, (de preferência embaixo de árvores).

– Afofar a terra, incorporando boa dosagem de material orgânico curtido, tipo esterco de gado, (4 /1, ou seja: quatro partes de terra para uma parte de esterco ou compostagem orgânica). Apenas para que as sementes germinem saudáveis.

– Enterrar as sementes a mais ou menos  um centímetro de profundidade

– Umedecer sem encharcar…

– Manter o local úmido…

Após o nascimento, esperar as mudinhas atingir aproximadamente 5  a 10 cm de altura, para transplantá-la em balainhos.

A operação de transplante deverá ser feito em períodos chuvosos para que a plantinha não desidrate e venha a morrer.

Após as plantas atingirem de 15 a 20 cm de altura, já podem ser transplantadas em seus locais definitivos.

para ver um vídeo sobre esse assunto clicar aqui

 

Como fazer mudas de rosas

Como fazer mudas de rosas.

– Trata-se de um método comum que pode ser utilizado para qualquer tipo de roseira

– Um dos processos mais utilizados, para os amantes amadores de rosas, é o método de multiplicação por estaquia. É uma prática muito fácil, pois são utilizados partes, (ramos e galhos), da planta em que se deseja propagar, conservando assim as mesmas características da planta mãe.  E a técnica consiste conforme descrito abaixo:

 Preparo do solo: A mistura indicada para o plantio é a seguinte:

1 parte de terra comum,

1 parte de terra vegetal

2 partes de composto orgânico

– Em seguida: encher os saquinhos de plástico (tipo balainhos), com o solo preparado.

– Colocar os balainhos em lugar sombreado.

– Molhar bem a terra dentro dos balainhos.

 Em seguida:

Escolher as plantas (roseiras) vigorosas que apresentam flores perfeitas.

  • Cortar alguns galhos maduros. (Dê preferência àqueles ramos da última floração, mas que já perderam suas flores).
  • Recortar esses galhos com, mais ou menos, 20 cm. (Transformando-os em estaquias).
  • Enterrar essas estaquias até a metade (10 cm), nos saquinhos previamente preparados,
  • Fazer regas diárias sem encharcar muito.
  • Esperar a brotação.
  • Depois de dos brotos atingirem mais ou menos 10 cm poderão ser transplantados em lugares definitivos.

Nota:

– Em poucos meses sua roseira já estará produzindo belas flores…

Para ver um vídeo de uma roseira florida clique aqui

Como fazer mudas de antúrio

Como fazer mudas de antúrio

– Para se cultivar antúrios, é bem simples: É uma planta resistente, se bem cuidada.

– Gosta de calor, sombra, umidade e periodicamente uma pulverização com adubo foliar.

– O antúrio é uma planta de fácil manejo. Não requer cuidados especiais. O primeiro passo é escolher um local bem sombreado para colocar as plantas, pois o sol incidindo diretamente sobre ele é prejudicial, queimando suas folhas.  Então, recomenda-se deixar a planta à meia-sombra, em local com boa luminosidade e ventilação.

– Preparo do solo: A mistura indicada para o plantio é a seguinte:

1 parte de terra comum,

1 parte de terra vegetal

2 partes de composto orgânico

 

– Caso for repicar as mudas de uma planta adulta, (perfilhada, ou seja: com filhotes perfilhos), então deverá proceder da seguinte forma:

1 – Retirar com cuidado a touceira da plantas do vaso, e livrá-la da terra remanescente.

2 – Separar as mudas (perfilhos) da planta mãe, com o auxílio de uma faca, ou alicate de corte.

3 – Remover com o auxílio de uma tesoura de jardim todas as raízes velhas.

4 – Replantá-las cada uma em um vaso, utilizado a mistura acima indicada.

5 – Nessa altura do campeonato a planta mãe deverá estar com sua haste bastante comprida, então precisará ser cortada bem acima de onde foram retiradas as mudas, para poder também ser replantada. O tranco velho que fora cortado, também poderá ser reaproveitado, cortando-o em dois ou três pedaços para serem  replantado.  Pois soltarão novas mudas…

– Depois das mudas transplantadas, coloque os vasos sob a sombra de árvores, ou varandas.

– Para controlar pragas como por ex. fungos, recomenda-se fazer pulverizações periódicas com calda bordalesa. De resto, os cuidados são poucos:

1- Regas frequentes sem encharcar.

2- Pulverizar as folhas com água durante o verão mais intenso.

3- Pulverizar as folhas mensalmente com adubo foliar de boa qualidade, obedecendo à dosagem recomendada pelo fabricante. (para plantas de jardim)

4- Duas vezes ao ano, adubar com um composto orgânico.

5- Garantir sombra, calor e umidade. 

 Para ver um vídeo sobre antúrios, clicar aqui