Como fazer mudas de couve-flor – Brassica oleracea variedade botrytis

Como fazer mudas de couve-flor

Nome científico: Brassica oleracea variedade botrytis.

Origem: Ásia.

Características gerais:

– Trata-se de uma hortaliça da mesma família da couve, repolho, brócolis.

– A parte comestível da planta trata-se de uma inflorescência, (botões florais), ainda em desenvolvimento, que se apresenta em forma de uma “cabeça”, cuja coloração poderá varia de branco ao creme.

– A colheita deverá ser feita com as inflorescências ainda em fase inicial, tenras, macias.

Propagação:

– A propagação da planta é feita através de sementes.

– As sementes poderão ser plantadas em canteiros (tipo sementeiras), bandejas de isopor com células, copinhos plásticos com furos para drenagem de água, etc.

– Aconselha-se fazer as mudas em bandejas de isopor com células, pois as mudas já irão para seus locais definitivos com o torrão de substrato em suas raízes.

– As bandejas poderão ficar dispostas em estufas e/ou em locais sombreados com sombrites.

– As sementes deverão ficar enterradas no substrato, em média, com 0,5 cm de profundidade, cobertas com camada de solo peneirado.

– Geralmente, 30 dias após semeadura, quando as plântulas estiverem com, em média 5 folhas e/ou, com, em média, com 10,0 cm de altura, já poderão ser levadas a campo.

Nota:

– Antes das mudas serem transplantadas em seus locais definitivos deverão passar pelo processo de rustificação, ou seja: Aclimatação gradativa ao sol, no período de uma semana.

Solo:

– Trata-se de plantas exigentes quanto ao tipo de solo.

– O solo deverá ser pesado e argiloso, profundo, totalmente drenável, rico em material orgânico.

– O pH do solo deverá oscilar entre 6 a 6,5. Para a correção do solo aconselha-se utilizar Calcário-dolomítico.

– Trata-se de plantas exigentes em: Nitrogênio, Cálcio, Potássio e Sódio, bem como, os micronutrientes: Molibdênio e Boro, que irão garantir o sucesso da produção.

Nota:

– Evitar a deficiência de Boro e Molibdênio. A deficiência de Boro deixa a couve-flor imprópria para o consumo humano, e de Molibdênio, porque impede a formação das cabeças.

Clima:

– Plantas de clima Tropical, Subtropical e Temperado.

– Há cultivares específicos desenvolvidos para produção da hortaliça em diferentes épocas do ano.

Plantas de clima tropical:

– Variedades denominadas: Precoce de Verão, resistente ao calor.

– Temperatura oscilando entre 20 e 25 ºC.

– Colheita em torno de 80 dias, após semeadura.

– Cultivares: Cindy, Sarah, Sharon, Shiromaru II, Piracicaba precoce, Karen, Luna, Snow flake kobayashi, Veneza, Verona 184, Verona 284,

Nota: Para evitar a incidência direta do sol no plantio de verão, as cabeças deverão ser protegidas.

Plantas de clima Subtropical:

– Variedades adaptadas ao clima moderado, para serem cultivadas no período de transição entre as estações verão e inverno. (cultura e produção de meia estação)

– Temperatura oscilando entre 15 ºC e 20 ºC.

– Colheita em torno de 110 dias, após semeadura.

– Cultivares híbridas: Barcelona e Sharon.

Plantas de clima temperado:

– Variedades adaptadas ao frio, para serem produzidas no inverno.

– Temperatura oscilando entre 5 ºC a 10 ºC.

– Colheita em torno de 130 dias, após semeadura. Consideradas variedades tardias.

-Cultivares: Bola de neve precoce, Teresópolis gigante, Teresópolis precoce, Florença, Júlia, Silver star, Snow mystique, Yuki, Barcelona, First snow kobayashi, Silver streak plus.

Regas:

– Trata-se de plantas exigentes em água.

– As regas deverão ser frequentes para manter o solo com boa umidade, sem provocar alagamentos.

Espaçamento:

– O espaçamento será determinado de acordo com a variedade bem como o tamanho da cabeça da planta.

– Para facilidade de manejo aconselha-se espaçamento de 0,50 metros entre plantas por 1,0 metros entre linhas.

Colheita:

– A couve-flor deverá ser colhida em fase tenra, quando os botões florais ainda estiverem em formação, porém, quando a cabeça atingir seu pleno desenvolvimento, ou seja: em média, 1,5 kg.

– Nota: A colheita não poderá ser postergada, passando do ponto. Pois,as inflorescências começarão a desabrochar, tornando-se inadequadas para o consumo.

Consideração finais:

– Trata-se de uma planta com alto valor nutricional, rica em Cálcio, Fósforo, Vitamina C, etc. E, poderá facilmente ser cultivada em hortas caseira, com baixo custo de produção, para o consumo familiar.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *