Como fazer mudas de Grevíllea-anã – Grevillea banksii.

Como fazer mudas de Grevíllea-anã – Grevillea banksii.

Nome científico: Grevillea banksii.

Nome popular: Grevílea-anã, Grevílea-de-jardim.

Família: Proteaceae.

Origem: Austrália.

Características gerais:

– Trata-se de uma arvoreta de ciclo de vida perene que, poderá chegar a mais de 5,0 metros de altura.

– Flores de coloração vermelha em forma de inflorescência.

– Existe uma variedade desta planta com flores brancas denominada: “Grevillea banksii Alba”.

– Sementes: Ocorrem dentro de pequenas vagens ovaladas, com grande número de sementes.

Nota:

– As raízes dessa planta não são agressivas, portanto poderão ser cultivadas próximas a muros.

– As flores ocorrem praticamente o ano inteiro, com mais intensidade na Primavera e no Verão.

Clima:

– Trata-se de uma planta adaptada ao clima: Equatorial, Tropical e Subtropical. E, deverá ser cultivada a pleno sol.

– Planta tolerante a frios moderados e geadas de baixa intensidade.

Solo:

– A planta deverá ser cultivada em solo fértil, rico em material orgânico, profundo e drenável.

Propagação:

– A planta é multiplicada por sementes.

Método de propagação:

– Poderá ser utilizado o método das sementeiras em canteiros e/ou caixas plásticas de vegetação, dispostos em locais semi-sombreados.

– O solo das sementeiras deverá ser fértil, rico em material orgânico e drenável.

– As sementes deverão ser aplicadas em sulcos a 0,5 cm de profundidade.

– Regar com jato leve de água, para não desenterrar as sementes.

– O solo deverá ser mantido com boa umidade sem encharcamento.

– Em média, duas semanas, as sementes férteis já estarão germinadas.

– Quando as plântulas atingirem, em média, 5,0 cm de altura já poderão ser transplantadas em sacos de polietileno, (balainhos). Também colocados em locais semi-sombreados, bastante arejados.

– O solo dos balainhos (sacos de polietileno), também deverá ser fértil, rico em material orgânico e drenável.

– Quando as mudas atingirem, em média, 0,5 metros de altura, poderão ser levadas a campo.

– Antes das mudas serem levadas para seus locais definitivos, deverá ser feita a aclimatação ao sol por, mais ou menos, duas semanas.

Plantio em local definitivo:

– Abrir covas de 40 x 40 x 40 cm.

– Misturar à terra retirada da cova, 20 a 30 litros de esterco animal bem curtido. Essa mistura deverá ser totalmente homogeneizada antes de voltar para dentro das covas. Esse processo deverá ser feito, em média, um mês antes do recebimento da muda, para que o esterco animal integre-se totalmente ao solo.

– Com o desenvolvimento da planta, poderão também ser feitas adubações químicas, esporádicas, complementares. Utilizando a fórmula NPK- 04-14-08, principalmente no início e meio da estação chuvosa, aplicando cerca de 10 colheres de sopa ao redor do tronco, nunca junto a ele.

Regas:

– As regas deverão ser processadas a fim de manter o solo ligeiramente umedecido sem provocar encharcamento.

– Observar que no período das grandes estiagens as regas deverão ser intensificadas, mas, sempre para manter o solo apenas umedecido.

Tratos culturais:

– Podas apenas para a formação da planta.

Nota:

– Trata-se de uma planta que atrai os beija-flores.

Para ver um vídeo com essa planta CLICAR AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *