Como fazer mudas de Marmelinho do cerrado – Marmelinho do campo

Como fazer mudas de Marmelinho do cerrado – Marmelinho do campo

Nome científico: Cordiera sessilis

Nome popular: Marmelinho do campo, Marmelinho do cerrado, Marmelada preta, Marmelada do cerrado.

Origem: Planta nativa nos campos e cerrados do Brasil.

Família: Rubiáceas.

 

Características Gerais:

– Em seu habitat natural são encontradas vegetando em solo levemente umedecido rico em material orgânico, no caso, o acúmulo de folhas em decomposição embaixo da vegetação arbórea mais densa.

– Trata-se de pequenas árvores, em média, até 3,0 metros de altura, que vegetam confortavelmente nas clareiras das matas, e/ou sob a sombra de grandes árvores.

– Ocorre com certa frequência na região central do Brasil e no Norte do Estado de São Paulo.

– Trata-se de uma planta dióica ou seja, Plantas machos e Plantas fêmeas.

(Plantas com flores masculinas e Plantas com flores femininas).

– As flores surgem na ponta dos ramos. – As flores masculinas são agrupadas, em média, com 10 flores sésseis (sem o pedúnculo ou pedicelo), as flores femininas são solitárias de coloração esverdeada.

– Os frutos são em forma de bagas de coloração verde, passando ao preto depois de maduros,

– Cada fruto contém, em média, 20 sementes achatadas, na cor amarelo-esverdeado.

Propagação:

Na natureza:

– Na natureza as sementes são dispersas pela fauna silvestre que se alimenta dos frutos: Na copa da planta são so pássaros frugívoros: Jacus, Mutuns, e quando os frutos maduros caem no solo, são alguns mamíferos: Lobos-guará, Lobinhos, Raposas, Porcos do mato, etc.

Propagação em escala doméstica:

– A propagação em escala doméstica é feita através de sementes colhidas de frutos maduros.

– Colher os frutos maduros.

– Retirar e lavar as sementes em água corrente.

– Colocar as sementes em cima de jornal para secar à sombra por um período de mais ou menos, 2 dias.

– Em seguida, as sementes deverão ser semeadas em balainhos num substrato feito com: 40% de terra de barranco + 20% de areia e 40% de matéria orgânica bem curtida.

– A germinação ocorrerá, em média, 60 dias no verão.

– As mudas atingirão 50 cm de altura com 1,0 ano de cultivo.

– As mudas com 50 cm de altura poderão ser transplantadas em seus locais definitivos.

Obs.

– Se as sementes forem plantadas em caixas de vegetação, com substrato de areia, ao atingirem 10,0 cm de altura, as plântulas já poderão ser transplantadas para balainhos com o substrato acima descrito, ou seja: 40% de terra de barranco + 20% de areia e 40% de matéria orgânica bem curtida.

– Aguardar a muda atingir 50 cm de altura para leva-la a campo.

– As mudas antes de serem levadas a campo, terão que passar por um processo de aclimatação gradativa ao sol.

– Recomenda-se plantar blocos de 4 a 5 mudas próximas, pelo fato de não se conhecer com antecedência, qual muda é feminina ou masculina.

– Recomenda-se o transplante definitivo no início da estação chuvosa do ano.

Clima:

– Trata-se de uma planta rústica, daptada ao clima tropical, e poderá ser cultivada a pleno sol, ou a meia sombra.

– A planta não é resistente a geadas fortes.

Solo:

– Embora tratar-se de uma planta rústica, resistente, o solo recomendado para o plantio definitivo, deverá ser rico em material orgânico, profundo, bem drenado. Assim a planta melhor e consequentemente, será muito mais produtiva.

– O pH do solo deverá ser levemente ácido variando de 4,8 a 5,7.

Densificação:

– O espaçamento recomendado 4 x 4 m.

– Abrir covas de 40 x 40 x 40 cm.

– Adicionar ao solo retirado da cava: 500 gramas de cinza de madeira + 500 gramas de calcário + 10,0 Litros de esterco animal bem curtido. Os materiais adicionados deverão ser totalmente homogeneizado com o solo retirado, antes de voltarem para dentro da cova.

– Este procedimento deverá ser realizado, em média, um mês antes de receber a muda da planta.

Tratos culturais:

– Podas de formação da planta.

– Capinas periódicas para evitar invasoras e/ou plantas concorrentes.

– Adubação química, poderá ser feita uma vez por ano utilizando 30 gramas de adubo NPK 10-10-10, dobrando essa quantia a cada ano até o quarto ano. Distribuir o adubo ao redor da planta a 5 cm de profundidade, distanciado 30 cm do tronco.

– Recomenda-se manter uma camada de esterco, adubação de cobertura,  feito com folhas secas ou, capim seco, ao redor do tronco da planta, isso ajudará a manter a umidade do solo.

Frutificação:

– A planta frutifica entre Novembro e Fevereiro.

 

Para ver um vídeo desta planta CLICAR AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *