Como fazer mudas de Ximbuva – Tamboril – Enterolobium contortisiliquum

Como fazer mudas de Ximbuva – Tamboril – Enterolobium contortisiliquum

Nome científico: Enterolobium contortisiliquum

Nome popular: Ximbuva, Tamboril, Timboúva, Timbaúva, Orelha-de-negro, Orelha-de-macaco, Timbó,Araribá, Árvore-das-patacas, Cambanambi, Sabão-de-macaco, Chimbó, Chimbuva, Flor-de-algodão, Orelha-de-onça, Orelha-de-preto, Pacará, Pau-de-sabão, Pau-sabão, Tambaré, Tamboi, Tambor, Tambori, Tamboril-do-campo, Tamboril-pardo, Tamborim, Tamburé, Tamburil, Tamburiúva, Tambuvé, Tambuvi, Timbaíba, Timbaúba, Timbaúva-branca, Timbaúva-preta, Timbíba, Timboíba, Timborana, Timbori, Timboril, Timboúba, Timbuíba, Timburi, Timburil, Timbuva, Vinhática-flor-de-algodão, Ximbiuva, Ximbó, Ximbuva.

Família: Fabaceae

Origem: América do Sul, Brasil, Paraguai, Bolívia e Argentina.

Características gerais.

– Trata-se de uma árvore leguminosa de grande porte, frondosa, de ciclo de vida perene, que poderá atingir mais de 30,0 metros de altura, com o diâmetro do tronco superior a 1,5 metros.

– No Brasil ocorre na região Centro-Sul, Maranhão, Pará e Piauí.

– Trata-se de uma espécie pioneira, rústica, de crescimento rápido, indicada para reflorestamento em áreas degradadas.

– A madeira é de coloração branca-cremoso, leve, macia, pouco resistente, geralmente utilizada em peças entalhada à mão, caixotaria, fabricar a viola-de-coxo, canoas, brinquedos, etc.

Clima:

– Planta adaptada ao clima: Equatorial, Tropical, Subtropical, Mediterrâneo.

– Deverá ser cultivada a sol pleno, pois requer alta luminosidade.

Solo:

– O solo deverá ser fértil, profundo e úmido.

Propagação:

– A planta multiplica-se por sementes.

– As sementes da Ximbuva apresentam tegumento impermeável que dificulta a sua emergência.

– A quebra da dormência poderá ser feita pelo método da escarificação ou, desponte, ou embebição em água.

– Após a quebra da dormência as sementes poderão ser semeadas em balainhos feitos com sacos de polietileno, com substrato fértil, enriquecido com material orgânico curtido.

– Os balainhos deverão ser alojados em locais parcialmente sombreados, em média, 50%.

– Regar periódicamente para manter o substrato dos balainhos com umidade uniforme.

– Dentro de 15 a 30 dias as sementes estarão germinadas.

– Após 5 meses, as mudas já poderão ser levadas a campo.

– Porém, antes da repicagem, aconselha-se fazer a rustificação das mudas, com aclimatação gradativa ao sol, em média, por 2 semanas.

Floração e frutificação:

– As inflorescências surgem na primavera em forma de cachos, com pequenas flores brancas.

– Os frutos são vagens semilenhosas, em formato de orelha, o que rendeu a espécie vários nomes populares.

– Cada vagem pode conter até 10 sementes que depois de secas adquirem uma coloração marrom-brilhante.

– As sementes amadurecem no inverno quando as vagens adiquirem uma coloração marrom-escuro tendendo ao preto.

Regas:

– As mudas deverão ser irrigadas no primeiro ano, após serem levadas a campo.

Tratos culturais:

– Podas para formação da planta.

Nota:

– As vagens apresentam substâncias tóxicas para o gado que, no inverno, época de grande escassez de alimentos, acabam mascando, comendo as sementes que caem no solo,destas árvores remanescentes, sobreviventes nas pastagens.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *