Como fazer mudas de Quaresmeira – Tibouchina granulosa

Como fazer mudas de Quaresmeira – Tibouchina granulosa

Nome Científico: Tibouchina granulosa.

Nome Popular: Flor-da-quaresma, Quaresmeira.

Família: Melastomataceae.

Origem: Mata atlântica, Brasil, América do Sul.

Características gerais:

– Trata-se de uma árvore ornamental rústica, de tamanho médio, de ciclo e vida perene, que poderá atingir mais de 8,0 metros de altura.

– Planta originária da Mata atlântica, é comum vê-la vegetando nos sopes de montanhas, matas ciliares,etc. adornando a paisagem local.

– As flores de coloração róseas e arroxeadas ocorrem duas vezes ao ano:

Florada de inverno: ocorre nos meses Junho a Agosto.

Florada de verão que se estende até o outono: ocorre de Dezembro a Março. Sendo essa última, mais densa e exuberante.

Segundo a cultura popular: A planta recebeu esse nome “Quaresmeira”, pelo simples fato, de estar em seu auge de floração, no período que coincide com a Quaresma.

– Os frutos, em formato de pequenas cápsulas marrons, abrem-se após amadurecimento.

– As sementes são minúsculas e, geralmente, são dispersas pelo vento.

Clima:

– Trata-se de uma planta adaptada a clima: Equatorial, Tropical, Subtropical.

– A planta deverá ser cultivada a céu aberto sob sol pleno, pois, requer alta luminosidade.

– Planta tolerante a curtos períodos de frio moderado.

Solo:

– A planta deverá ser cultivada em solo fértil, profundo, drenável, rico em material orgânico.

Regas:

– As regas deverão ser frequentes no primeiro ano após plantio em local definitivo.

– As regas deverão ser pocessadas a fim de manter o solo levemente umedecido.

Propagação:

– A planta poderá ser multiplicada por estaquia de galhos semi-lenhosos e/ou, por sementes.

– A taxa de germinação das sementes é muito baixa.

Coleta de sementes:

– A maturação fisiológica dos frutos, geralmente ocorre, entre 80 e 100 dias após abertura das flores. Diante disso, o início da abertura das cápsulas deverá coincidir com essa última data: 100 dias. Quando a coloração dos frutos ficar num tom de marrom-escuro.

Coleta dos frutos assim que começarem a abrir.

– Cortar os ramos que contém as cápsulas com sementes.

– Colocar os ramos sobre jornal, em local ensolarado, por algumas horas.

– As cápsulas irão se abrir, liberando as sementes.

– As sementes apresentam dormência após a maturação fisiológica, com baixa porcentagem de germinação.

– A quebra da dormência para aumentar o índice de germinação em sementes que apresentam impermeabilidade do tegumento, deverá ser feita com água quente, da seguinte forma:

– Colocar as sementes numa vasilha, em seguida despejar água quente na temperatura média de 80 ºC sobre elas, em seguida, deixar repousar por 2 dias.

– Após os 2 dias, as sementes deverão ser retiradas da água e plantadas imediatamente, Pois trata-se de sementes que perdem o poder germinativo com muita rapidez.

Plantio:

– As sementes poderão ser plantadas em canteiros, (sementeiras feitas no solo) e/ou, em caixas de vegetação.

– O substrato deverá ser rico em material orgânico.

– As sementes poderão ser aplicadas em fileiras ou, aleatoriamente.

– As sementes deverão ficar enterradas no substrato, em média, a 0,5 cm de profundidade.

– Cobrir as sementes com uma camada fina de substrato peneirado.

– Regar com jato leve de água para não desenterrar as sementes.

– Manter o substrato úmido sem encharcamento.

– Em algumas semanas as plântulas começarão a emergência.

– A taxa de germinação é considerada baixa.

– Quando as plântulas apresentarem, em média, 8 folhas e/ou, 6 cm de altura, poderão ser transplantadas em balainhos, (feitos com sacos plásticos para mudas).

– Manter os balainhos em cultivo protegido com sombreamento, em média, de 50%.

– Quando a muda atingir, em média, 0,5 metros de altura, já poderá passar pelo processo de rustificação, com aclimatação gradativa ao sol.

– Com 1,0 metro de altura, a muda já estará apta para ser plantada em local definitivo.

– A muda precisará ser tutorada para que o caule se mantenha na vertical.

– As regas deverão ser frequentes a fim de manter o substrato sempre com umidade regular, sem provocar encharcamento.

– Aconselha-se levar as mudas a campo, no início da estação chuvosa.

Para ver um vídeo desta planta CLICAR AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *