Como fazer mudas do pinheiro do Paraná – Araucária.

Como fazer mudas do pinheiro do Paraná  –  Araucária

 Nome científico: (Araucaria angustifolia)

Origem: América do Sul, Brasil.

– A araucária é popularmente conhecida como pinheiro do Paraná. Trata-se de uma árvore que cresce ereta, podendo atingir mais de 50 metros de altura, cuja copa, normalmente tem o formato de uma grande taça.

– A semente da araucária é o famoso pinhão, muito consumido nos meses de inverno.

– A araucária é símbolo do Estado do Paraná, onde existe a maior concentração da espécie no Brasil.

Propagação de mudas:

– É muito fácil a produção de mudas desta planta através das sementes: ou seja, do próprio pinhão.

Procedimentos:

– Selecionar os pinhões (sementes) de árvores vigorosas e saudáveis.

– Os pinhões devem ser jovens, (no máximo duas semanas após a colheita. Pinhões velhos perdem o poder germinativo.

Outro detalhe:

– Dependendo da quantidade de mudas desejada, pode-se utilizar caixas plásticas com grandes dimensões, perfuradas no fundo, ou até mesmo copos descartáveis também perfurados, para drenagem do excesso de água.

– Em seguida, colocar no recipiente escolhido, uma camada de substrato de aproximadamente uns dez centímetros de altura.  O substrato precisará reter parcialmente a umidade, tipo: esfagno (Sphagnum), ou serragem misturada com areia e carvão triturado, ou, qualquer outro tipo de material que mantém o local levemente umedecido.

– Na seqüência, espetar os pinhões com a ponta fina para baixo, deixando-os levemente inclinados (deitados), observar que a outra extremidade, deverá ficar fora, acima da camada de substrato, (entre 0,5 a 1,0 cm).

– Umedecer periodicamente para que o substrato nunca fique totalmente seco.

Observação:

– Esses recipientes de germinação, deverão permanecer em locais protegidos para evitar o ataque de roedores, e outros animais que porventura se alimentam desses pinhões.

– Imediatamente após a germinação das sementes, já poderão ser transplantadas em balainhos com substrato rico em material orgânico.

– Os balainhos deverão ser colocados em locais sombreados até que a planta se desenvolva criando resistência própria.

– Atingida uma altura aproximada de vinte centímetros, as mudas poderão ser aclimatadas gradativamente ao sol, para depois irem para seus locais definitivos. (isso deverá ocorrer em aproximadamente seis meses)

Como fazer mudas de aroeira

Como fazer mudas de aroeira

Propagação de  Aroeira

Nome Científico Myracrodruon urundeuva

Família Anacardiaceae

Método de propagação:

A propagação da aroeira geralmente é feita através de sementes, mas também pode ser  feita através estacas.

Propagação por sementes:

– O primeiro passo é a coleta das  sementes:

– Colher as sementes (frutos), maduros diretamente da árvore, exatamente no momento em que iniciarem a queda espontânea, em estado plenamente maduro, pois, os frutos colhidos antes do amadurecimento não germinarão.

– Em seguida  deverão ser secos à sombra por alguns dias, para depois serem plantados.

Cultivo de mudas:

– As sementes  deverão ser postas para germinar, em canteiros sombreados.

– O substrato dos canteiros deverá ser arenoso, bem drenado, enriquecido com uma boa dosagem de matéria orgânica.

– As sementes germinarão entre 10 a 30 dias, com aproveitamento maior que 80%.

– a repicagem para os balainhos deverá acontecer a partir do primeiro mês de vida.

– A partir do terceiro mês das mudas transplantadas nos balainhos, aconselha-se fazer a aclimatação gradativa ao sol durante 30 dias, antes de serem levadas a campo.

– As mudas deverão ser transplantadas em seus locais definitivos, preferencialmente no início da estação chuvosa.

A aroeira é exigente quanto ao tipo de solo, prefere solos ricos em material orgânico,  visto a sua grande concentração nas furnas de terra preta, tido como solo de cultura.

É considerada a madeira com maior resistência ao apodrecimento e ao ataque de cupins, que se conhece no Brasil.

Como fazer mudas de Marolo

Como fazer mudas de Marolo

Nome científico: Annona crassiflora Achott

Família botânica: Annonaceae

O marolo é um fruto tipicamente da região de cerrados.

Propagação por sementes

– Extrair as sementes de frutos maduros.

– As sementes deverão ser bem lavadas e secas à sombra por  vários dias, para quebrar o período de dormência. Obedecido a esse detalhe, germinarão dentro de 60 a 120 dias.

– Em seguida, podem ser semeadas em balainhos.

– Os balainhos utilizados, poderão ser embalagens tetra pak reaproveitadas ou sacos plásticos com dimensões entre 15 a 18 cm de diâmetro por 25 a 30 cm de altura.

– O substrato para preencher os balainhos deverá ser um composto de terra fértil e esterco de curral  bem curtido na proporção de 3/1, ou seja: 3 partes de terra para 1 de esterco de curral,  misturar bem para homogeneizando o composto.

– Depois de preenchidos, os balainhos deverão ser colocados lado a lado, formando canteiros com dimensões de 10 x 1 m, com espaços entre os canteiros de 0,6 m entre si, para facilidade de manejo.

– Semear de 3 a 4 sementes em cada balainho, com profundidade de 2 a 3 cm e cobri-las com o próprio substrato.

– Regar de 1 a 2 vezes por dia, para que o substrato fique úmido todo o tempo, mas sem encharcar.

– O nascimento das sementes ocorrerá dentro de 60 a 120 dias, dependendo da temperatura e da época em que foram semeadas.

– Caso todas as sementes venham a germinar, é necessário fazer o desbaste, deixando apenas a planta mais robusta.

– As mudas estarão prontas para irem a campo, após 18 meses, a partir da semeadura.

-As mudas crescem lentamente e apreciam ambiente ensolarado para formação.

Plantando os balainhos em seus locais definitivos:

– A muda do marolo deve ser plantada em pleno sol, num espaçamento ideal de 6 m x 6 m.

– As covas devem conter 30% de areia e 20% de matéria orgânica muito bem curtida.

– A melhor época para o plantio é de outubro a novembro, no início do período chuvoso. Caso as chuvas estejam escassas, irrigar cada cova, com 10 litros de água, por semana nos primeiros 2 meses.

– A frutificação iniciará entre 5 a 7 anos, dependendo do solo e tratos culturais.

Doenças;

O controle de doenças que poderão ocorrer pode ser feito com pulverizações semanais utilizando-se calda bordalesa ou calda sulfocálcica (1 Kg de cal + 1 Kg de cobre diluídos em 100 litros de água).

Notas:

– O marolo é uma planta subtropical, resiste a geadas de até – 3 graus.

– Pode ser cultivada em todo o Brasil, em qualquer altitude. Adapta-se a qualquer tipo de solo que seja arenoso e que drenem bem as águas das chuvas.

– Fazer apenas podas de formação da copa e eliminar os galhos que nascerem na base do tronco.

Adubação:

Adubar orgânica: depositar  aproximadamente 8 litros de composto orgânico para cada pé de Marolo. (duas vezes ao ano)

Adubação química: depositar em cada planta  50 gramas de  adubo químico (N-P-K 10-10-10) – (anualmente)  dobrando essa quantia a cada ano, até o 4ª ano.

Usos:

– Os frutos são perfumados e de excelente sabor para o consumo in-natura.

Para ver um vídeo sobre o marolo clicar aquí

 

 

 

Como fazer mudas de cedro a partir de sementes

Como fazer mudas de cedro a partir de sementes

 Produção de mudas

A produção de mudas pode ser feita em canteiros (sementeiras), para posterior repicagem, ou diretamente em balainhos (reaproveitamento de embalagem tetra pak, ou saquinhos de polietileno) contendo substrato rico em matéria orgânica, semeando-se duas sementes por balainho

Também se pode produzir mudas pelo método de raiz nua ou, por propagação vegetativa; em ambos os casos, as respostas são satisfatórias.

O poder germinativo das sementes de cedro geralmente ultrapassa 80% e a germinação ocorre entre dez e vinte dias após colocada em contato com o solo.

Como coletar as sementes.

Por se tratar de sementes aladas, cuja dispersão ocorre através dos ventos, geralmente, colhem-se os frutos duas ou três semanas antes da sua abertura natural.

A coloração do fruto, que passa de verde para um tom de marrom-claro, determina o período ideal para colheita, indicando a maturidade fisiológica da semente. Esse período ocorre entre 30 e 32 semanas após a floração.

Após a colheita, os frutos são levados para local seco e ventilado para completar a abertura natural, bem como a liberação das sementes.

As sementes de cedro não apresentam dormência, portanto, podem ser plantadas de imediato. Quanto a sua conservação, podem ser armazenadas a frio, que seu poder germinativo se mantém inalterado por dois anos

O cedro se desenvolve bem em cultivos consorciados, o plantio pode ser feito em linhas e, em vegetação matricial arbórea, o plantio também pode ser feito em clareiras nas matas e capoeiras.

Crescimento e produção

O cedro é uma espécie de crescimento relativamente rápido, podendo se comportar como espécie secundária inicial ou tardia e regenerando-se preferencialmente, em clareiras ou bordas de mata, conforme anteriormente destacado.

Finalidades e aplicação:

O cedro é destacado como madeira de lei, muito utilizado na indústria para confecção de móveis

Como fazer mudas de Jurubeba

Como fazer mudas de Jurubeba

Nome científico – (Solanum paniculatum)

A jurubeba é uma planta nativa das Regiões Norte e Nordeste do Brasil, tendo se espalhado por outras regiões, podendo ser encontrada até no Rio Grande do Sul.

A disseminação se dá através das sementes. E é geralmente espalhada em bosques e quintais pelos pássaros que a consome.

Vegetam bem em solos semi-arenosos e ácidos, contudo ricos em materiais orgânicos.

Desenvolvem-se bem em locais sombreado, nas orlas de bosques ou, embaixo e nas clareiras das árvores frutíferas dos quintais.

 Como fazer mudas de jurubeba:

Para se fazer mudas de jurubeba é necessário a coleta dos frutinhos maduros, despolpá-los e separar as sementes que não devem ser totalmente secas para ser plantadas, senão perdem o poder germinativo. Contudo podem ficar exposta em lugar sombreado por um ou dois dias antes de ir para os canteiros ou balainhos.

O solo dos canteiros ou balainhos deve ser rico em material orgânico, também pode ser colocada mais de uma semente em cada balainho, caso nasça mais de duas, faz-se o desbaste das mudas mais fracas.

Tão logo atinja aproximadamente quinze a vinte centímetros de altura, devem ser transplantada em seus locais definitivos…  mas isso num período chuvoso para que as plantas disseminem suas raízes no solo com maior facilidade.

Propriedades medicinais:

Partes usadas; Raízes, folhas e frutos

Uso e Indicações:

A jurubeba é muito utilizada na farmacopéia popular, sendo utilizadas as folhas, os frutos verdes e as raízes no preparo de infusões e decoctos e são usados nas doenças hepáticas, icterícias e como diurético.

Atribui-se à planta efeitos como febrífuga, emenagoga, bem como estimulante das funções digestivas, do fígado, etc.

Diurética, desobstruente tônico, antiinflamatória. Emprega-se popularmente com bom resultado para combater as icterícias, cistites, febres intermitentes, prisão de ventre e as inflamações do baço(suco dos frutos).

Externamente empregam-se as folhas amassadas sobre machucados.

A raiz é indicada nas dispepsias atônicas e na diabete.

Desobstruente do fígado.

Maceração: 4 grs de folhas ou frutos verdes em um copo de água fria.

Também consumida adicionado ao vinho branco, bastando para tanto macerar as 4 grs ou frutos verdes, adicionando o vinho homogeneizando bem antes de beber.

Infusão: 2 colheres de sopa de folhas ou flores ou frutos picados para 1 litro de água fervente. Tomar 3 xícaras de chá morno, sem açúcar, por dia.

Aqui vai uma curiosidade interessante, a jurubeba é considerada altamente afrodisíaco natural.

 Para quem desejar ver um vídeo dessa planta clicar aqui

Como fazer mudas de Ipê branco – Tabebuia roseoalba

Como fazer mudas de Ipê branco

Árvores nativas do Brasil – Flora brasileira.

(Trees native to Brazil – Brazilian Flora)

(Nome científico:  (Tabebuia roseoalba)

 Propagação através de sementes.

As vagens do ipê branco devem ser coletadas antes da dispersão, pois se trata de sementes aladas. Assim evitará a perda das sementes, que na natureza são espalhadas pelo vento.

Após a coleta das vagens a extração das sementes é feita  manualmente.

As  sementes extraídas deverão ficar a sombra e em ambiente ventilado.

As sementes do ipê devem ser plantadas em poucos dias depois de colhidas, pois perdem o poder germinativo facilmente e tem que ser plantadas em até três meses, ou, numa segunda hipótese, depois de coletadas, se forem colocadas em vidros esterilizado, e hermeticamente fechados, resistirão até no máximo nove meses, se levadas para uma câmara fria.

A melhor maneira de plantá-las (para uma produção não industrial) será a de sementeira, ou seja: preparar em local sombreado, um canteiro, afofando bem  a terra que deverá ser de boa qualidade,  misturando em seguida  um pouco de material orgânico: esterco animal ou folhas em decomposição, homogeneizar bem para a aeração do solo… Em seguida, nivelar a superfície e na seqüência, distribuir as sementes, cobrindo-as com uma camada de terra de no máximo um centímetro…

Manter o local úmido sem encharcar…

Após as mudas atingirem mais ou menos dez centímetros, deverão ser transplantadas

em balainhos.

Após as mudas atingirem aproximadamente trinta centímetros, e depois de serem aclimatadas ao sol por um período de mais ou menos um mês, deverão ser transplantadas para seus lugares definitivos.

Obs.

–  Os ipês são plantas pouco exigentes e se desenvolvem em todo o território brasileiro,

–  As sementes não necessitam de quebra de dormência.

–  As sementes podem ser semeadas  diretamente nos balainhos.

–  A germinação ocorre após 30 dias e de 80%.

Nomes Populares

Ipê branco

Família : Bignoniaceae.

Como fazer mudas de Ipê roxo – Tabebuia avellanedae

Como fazer mudas de Ipê roxo

Árvores nativas do Brasil – Flora brasileira.

Trees native to Brazil – Brazilian Flora.

Nome científico:  Handroanthus impetiginosus, Tabebuia impetiginosa, Tabebuia avellanedae.

 Propagação através de sementes.

As vagens do ipê roxo devem ser coletadas antes da dispersão, pois se trata de sementes aladas. Assim evitará a perda das sementes, que na natureza são espalhadas pelo vento.

Após a coleta das vagens a extração das sementes é feita  manualmente.

As  sementes extraídas deverão ficar a sombra e em ambiente ventilado.

As sementes do ipê roxo devem ser plantadas em poucos dias depois de colhidas, pois perdem o poder germinativo facilmente e tem que ser plantadas em até três meses, ou, numa segunda hipótese, depois de coletadas, se forem colocadas em vidros esterilizado, e hermeticamente fechados, resistirão até no máximo nove meses, se levadas para uma câmara fria.

A melhor maneira de plantá-las (para uma produção não industrial) será a de sementeira, ou seja: preparar em local sombreado, um canteiro, afofando bem  a terra que deverá ser de boa qualidade,  misturando em seguida  um pouco de material orgânico: esterco animal ou folhas em decomposição, homogeneizar bem para a aeração do solo… Em seguida, nivelar a superfície e na sequência, distribuir as sementes, cobrindo-as com uma camada de terra de no máximo um centímetro…

Manter o local úmido sem encharcar…

Após as mudas atingirem mais ou menos dez centímetros, deverão ser transplantadas

em balainhos.

Após as mudas atingirem aproximadamente trinta centímetros, e depois de serem aclimatadas ao sol por um período de mais ou menos um mês, deverão ser transplantadas para seus lugares definitivos.

Obs.

–  Os ipês são plantas pouco exigentes e se desenvolvem em todo o território brasileiro,

–  As sementes não necessitam de quebra de dormência.

–  As sementes podem ser semeadas  diretamente nos balainhos.

–  A germinação ocorre após 30 dias e de 80%.

Nomes Populares

Ipê Roxo, Pau-d’arco, ipê roxo da mata, ipê preto, ipê rosa, ipê comum, ipê cavatã, lapacho, peúva, piúva.

Família : Bignoniaceae.

Se desejar ver um vídeo dessas árvores em pleno período de floração clicar aqui

Como fazer mudas de Ipê Amarelo – Tabebuia

Como fazer mudas de Ipê amarelo.

Árvores nativas do Brasil – Flora brasileira.

(Trees native to Brazil – Brazilian Flora)

(Nome científico: Tabebuia chrysotricha)

 Propagação através de sementes.

As vagens do ipê amarelo devem ser coletadas antes da dispersão, pois se trata de sementes aladas. Assim evitará a perda de sementes que na natureza, a sua disseminação, é feita através do vento.

Após a coleta das vagens, a extração das sementes é feita  manualmente.

As sementes extraídas, antes de serem plantadas  deverão ficar por pouco tempo em ambiente ventilado.

. As sementes do ipê amarelo perdem o poder germinativo facilmente e tem que ser plantadas em até três meses depois de coletadas, ou numa segunda hipótese, se forem colocadas em vidros esterilizados e hermeticamente fechados, se levadas em câmara fria, resistirão até no máximo 9 meses.

A melhor maneira de plantá-las (para uma produção não industrial) será a de sementeira, ou seja: preparar em local sombreado, um canteiro, afofando bem  a terra que deverá ser de boa qualidade,  misturando em seguida  um pouco de material orgânico: esterco animal ou folhas em decomposição, homogeneizar bem para a aeração do solo… Em seguida, nivelar a superfície e na seqüência, distribuir as sementes, cobrindo-as com uma camada de terra de no máximo um centímetro…

Manter o local úmido sem encharcar…

Após as mudas atingirem mais ou menos dez centímetros, deverão ser transplantadas

em balainhos.

Após as mudas atingirem aproximadamente trinta centímetros, e depois de serem aclimatadas ao sol por um período de mais ou menos um mês, deverão ser transplantadas para seus lugares definitivos.

As plantas deverão ser levadas para seus lugares definitivos na época das chuvas abundantes.

Obs.

–  Os ipês são plantas pouco exigentes e se desenvolvem em todo o território brasileiro,

–  As sementes não necessitam de quebra de dormência.

–  As sementes podem ser semeadas  diretamente nos balainhos.

–  A germinação ocorre após 30 dias e de 80%.

Nomes Populares

ipê-amarelo-cascudo, ipê-do-morro, ipê,

ipê-amarelo, aipé, ipê tabaco,

ipê-amarelo-paulista, pau-d’arco-amarelo.

 Para ver um vídeo destas árvores no período de floração clicar aqui