Como fazer mudas – Viveiro de mudas de árvores nativas.

Como fazer mudas – Viveiro de mudas de árvores nativas.

Grande parte da fauna selvagem, alimenta-se exclusivamente de frutos e sementes silvestres.

Se você gosta da vida, e faz questão de viver bem e em paz, provavelmente já se deu conta de que nada sobrevive sozinho,  percebeu então,  o quanto dependemos das coisas simples da natureza. Mesmo porque, já compreendeu que tudo está intimamente relacionado e interligado, e nós, os seres humanos “considerados inteligentes”, jamais poderemos sobreviver sem o suporte básico, fantástico, dessa biodiversidade que nos é oferecida diariamente, e que nem sempre a notamos.

Assim sendo, nós que já compramos essa idéia de preservação, poderemos perfeitamente dar uma mãozinha à natureza, plantando sementes de árvores frutíferas. Cada quintal, cada terreno poderá corretamente ostentar algumas espécies de plantas que produzirão frutos.

O que atrai animais e passarinhos silvestres é comida. Veja como os pássaros estão migrando para as cidades, em busca de alimento.

Plantar uma árvore é tão fácil e simples. Basta apenas ter um pouquinho de dedicação.

È só separar as sementes dos frutos que você consome e colocá-las na terra, em condições ideais de umidade e luminosidade, num solo fértil.

Para facilitar o transplante dessa muda que você pretende fazer, é necessário que ela esteja dentro de um balainho, que poderá ser feito com um saquinho de plástico, uma embalagem tretra pak, ou qualquer outra vasilha perfurada, para drenagem de água.

Veja o exemplo deste viveiro de mudas, que usa um tipo de embalagem de plástico rígido, reciclável, chamada tubetes. E que num pequeno espaço, produz milhares de mudas anualmente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Viveiro de mudas de árvores nativas do centro-oeste brasileiro.

Você não precisa ter um viveiro como esse. Basta ter um cantinho reservado em seu quintal, ou jardim, e um pouquinho de iniciativa para produzir suas mudas.

Caso você não tenha espaços suficientes para plantar todas as mudas que porventura produzir, presenteie seus amigos que tem locais específicos, adequados para elas.

Faça isso e deixe sua marca registrada na biodiversidade do planeta.

A vida irá lhe agradecer apenas por isso.

As pequenas ações somadas, fortalecem as grandes iniciativas.

Para ver um vídeo mais detalhado deste viveiro de mudas clicar aqui

 

Como fazer mudas de árvores frutíferas – utilizando balainhos alternativos

Como fazer mudas de árvores frutíferas.

Reaproveitando  embalagens de leite:

(o saquinho tradicional de plástico).

Veja o passo a passo para reaproveitar embalagens: “saquinhos  de leite”, na  confecção de balainhos alternativos.

( Uma bela iniciativa para pessoas amadoras, ecologicamente corretas e consciente).

Como esta embalagem é muito resistente e acaba saindo de graça, e se não for reciclada acabará poluindo o meio ambiente, então poderemos reaproveitá-la para produção de mudas de diversos tipos de árvores frutíferas,  madeira de lei, plantas de jardins, etc.

Se, em cada embalagem descartável, tipo garrafas pet, tetra pak, saquinhos de leite, nós conseguirmos gerar uma árvore, ela já estará de bom tamanho e com créditos com a mãe natureza.

Veja na foto abaixo, reutilização de alguns tipos de embalagens.

 

 

 

 

 

 

 

 

Vamos ao saquinho de leite comum, que normalmente é descartado.

 

 

 

 

 

 

 

 

– Recortar a parte superior do saquinho, com o auxilio de uma tesoura.

– Recortar os dois bicos do fundo, para servir de drenagem de água. (ver foto abaixo)

 

 

 

 

 

 

 

 

Para facilitar processo de enchimento com terra, uma vez que o saquinho não tem estrutura para ficar de pé, utilizar uma garrafa pet, com as duas extremidades  recortadas. (ver foto abaixo).

 

 

 

 

 

 

 

 

Obs:- A garrafa pet a ser utilizada, deverá ter a suas medidas externas um pouco inferior ao diâmetro da boca do saquinho de plástico, para que possa ser introduzida  sem grandes dificuldades.

 

 

 

 

 

 

 

 

Introduzira garrafa pet, com as duas extremidades recortadas,  dentro dosaquinho, dando suporte para que o mesmo permaneça em pé, facilitando o processo de enchimento com terra preparada.  (Ver foto abaixo)

 

 

 

 

 

 

 

Após o enchimento com terra, a garrafa pet deverá ser removida para ser reintroduzida em outra embalagem vazia,  e assim sucessivamente.

 

 

 

 

 

 

 

Após os saquinhos (balainhos) preparados, colocá-los bem organizados em local sombreado, (encostados uns aos outros para que não caiam).

Em seguida umedecê-los, e já estarão prontos para receber as sementes ou as mudas de árvores.

Assim que as mudas forem levadas a campo, retirar o plástico do balainho, tomando o cuidado de recolhê-los para  dar o devido destino, sem que os restos da embalagem não fiquem espalhados poluindo o meio ambiente.

Para ver mudas feitas em embalagens descartáveis clicar aqui

 

Como fazer mudas de Mogno africano

Como fazer mudas de Mogno africano

Nome Científico: Khaya Ivorensis, Khaya Anthotheca e Khaya Senegalensis, Khaya grandiflora .( as quatro espécies mais conhecidas)

 Propagação:

– O método mais utilizado na atualidade para propagação do mogno africano é através de sementes.

– As sementes são depositadas em balainhos feitos de saco de polietileno com tamanho mínimo de 15 centímetros de largura x 25 centímetros de altura.

Solo:

– O solo para enchimento dos balainhos é um substrato feito a partir da mistura de terra com esterco bem curtido, na proporção volumétrica de 4 para 1, ou seja: quatro partes de terra para uma parte de esterco animal.

Outra opção de recipiente para o plantio.

– Caso desejar, as sementes também poderão ser plantadas em tubetes de plástico, mas para essa prática, o substrato requerido terá que ser enriquecido com adubo químico.

– As mudas estarão prontas para o plantio definitivo, quatro meses após a germinação ou cinco meses depois da semeadura.

– O transplante das mudas deverá ocorrer no início do período chuvoso.

Tipo de solo desejável:

O mogno-africano desenvolve-se com eficiência em solos profundos, bem drenados de terra firme. Preferencialmente em regiões de clima tropical úmido, mas, adapta-se perfeitamente em locais de clima subtropical.

Adubações:

– O mogno africano responde muito bem à adubação orgânica, vinte litros de esterco animal, ou composto orgânico bem curtido, deverá ser misturado na terra da cova, na hora do transplante da muda.

– O espaçamento ideal para uma planta adulta é de 10 x 10 metros.

Produção x Colheita:

– Se obedecidos os tratos culturais, o mogno africano atingirá a idade de corte dentro de quinze a vinte anos, época em que seu tronco atingirá em média: treze metros de comprimento x setenta centímetros de diâmetro.

Considerações gerais:

-O mogno africano é considerado madeira de ótima qualidade, além de ostentar excelente cotação e demanda no mercado internacional.

– Apresenta boa resistência ao ataque de pragas

– Nativa do continente africano: Costa do Marfim, Angola, Nigéria, República dos Camarões, Gabão e Congo

Observações:

– O mogno africano, cuja madeira é parecida com a do mogno-brasileiro (Swietenia macrophylla),  poderá ser plantado como madeira de reflorestamento, visto que o nosso mogno brasileiro, tem sua derrubada proibida por lei federal.

– As sementes poderão ser encontradas em lojas e casas especializadas.

 

Como fazer mudas de Eucalipto

Como fazer mudas de Eucalipto

Espécies mais utilizadas:

Eucalyptus saligna Smith.

Eucalyptus alba Reinw.

Eucalyptus grandis Hill.

Eucalyptus citriodora Hook.

– Vários são os métodos que poderão ser usados na formação das mudas de eucalipto.

– Dependerá apenas da escolha, e da demanda  de cada região, seja em relação ao clima, ou, às possibilidades de abastecimento de matéria-prima destinada a ao mercado consumidor.

– O método mais comum utilizado com bastante eficácia é o de semeadura em canteiros de sementeiras, para posterior repicagem das mudinhas em balainhos, sendo a técnica mais freqüente na produção de mudas atualmente.

– Outra forma de produção de mudas de eucalipto, a chamada “semeadura direta”, consiste em depositar as sementes diretamente nos recipientes, (balainhos).

– Nota: Dependendo dos objetivos de cada produtor, no tocante à eficiência e à economia poderá ser escolhido os materiais e métodos mais apropriados.

Recipientes para o acondicionamento das mudas:

Dentre os vários métodos existentes, relacionamos os mais comuns utilizados:

Torrão-paulista: nas dimensões: 3,5 cm de lado por 12 cm de altura, confeccionados em máquinas especificas e apropriadas, para isso, utiliza uma mistura de terra arenosa, terra argilosa e esterco de animal bem curtido, em proporções adequadas;

Laminados de pinho: nas dimensões: 14×21 cm, enroladas em forma de cilindro com 5 cm de diâmetro e presas com um anel de arame fino, e cheio com a mesma mistura de terra e esterco curtido.

Saco plástico: nas dimensões: 8,5 cm x 13 cm, com o mesmo substrato acima: mistura de terra com esterco animal bem curtido ( Nota: observar se o saco plástico apresenta furos para drenagem de água).

– Saco plástico: nas dimensões: 8,5 cm x 20 cm, com o mesmo substrato descrito acima, ou seja; terra com esterco animal curtido ( Nota: observar se o saco plástico apresenta furos para drenagem de água).

 Sementes:

As sementes utilizadas deverão ser de boa procedência com alto poder germinativo.

Tipos de semeadura:

– Semeadura em canteiro para posterior repicagem.

– Preparar o canteiro usando uma mistura, adequadamente homogeneizada, de terra arenosa, terra argilosa e esterco animal curtido.

– Na semeadura, utilizar 50 gramas de sementes por metro quadrado, distribuídas a lanço.

– As sementes deverão ser cobertas com uma leve camada de terra peneirada e, em seguida, protegidas com uma camada de casca de arroz com cerca de 1 cm de espessura.

– Manter o local com boa umidade sem encharcar,  até as mudas atingirem porte ideal para repicagem.

Repicagem:

– Quando as mudinhas dos canteiros atingirem altura entre 3.5 a 4,0 cm, e apresentando de 2 a 3 pares de folhas definitivas, está na hora da repicagem para os recipientes balainhos.

– O processo é  bem simples: Após boa rega nos canteiros, amolecendo a terra, para facilitar a saída das raízes, arranca-se as mudinhas individualmente, colocando-as dentro de um recipiente com água e à sombra, próximo do local da repicagem. E com um bastão tipo lápis, fazer os orifícios na terra do balainho, colocar as mudas e apertar a terra com os dedos, ajustando as raízes da planta, em seu novo habitat.

– Os balainhos deverão ficar em local sombreado por período de 4-5 dias, mantida a umidade para garantir o bom pegamento das mudas.

Semeadura direta

– Semeadura das sementes diretamente nos recipientes balainhos.

– Cada recipiente depois de bem umedecido  deverá receber uma  média entre 6 a 8 sementes férteis.

– Após a distribuição, as sementes deverão ser  cobertas com fina camada de terra peneirada e protegida com casca de arroz em camada  de mais ou menos 1 cm de espessura.

– Manter boa umidade sem encharcamento.

– Aproximadamente cinqüenta dias após a semeadura  deve-se fazer o desbaste das mudas excedentes no balainho, deixando apenas a planta mais vigorosa.

Transplante das mudas para o lugar definitivo.

Quando as mudas atingirem tamanhos suficientes para serem transplantadas, isso deverá ocorrer por volta dos oitenta dias de vida, deverão ser levadas a campo para o plantio definitivo.

Obs. Todo o processo deverá ser bem planejado, para que as mudas sejam levadas a campo num período chuvoso, onde as futuras plantas não entrarão em estresse pela insolação direta sem a devida umidade natural requerida.

 

 

Como fazer mudas de cedro a partir de sementes

Como fazer mudas de cedro a partir de sementes

 Produção de mudas

A produção de mudas pode ser feita em canteiros (sementeiras), para posterior repicagem, ou diretamente em balainhos (reaproveitamento de embalagem tetra pak, ou saquinhos de polietileno) contendo substrato rico em matéria orgânica, semeando-se duas sementes por balainho

Também se pode produzir mudas pelo método de raiz nua ou, por propagação vegetativa; em ambos os casos, as respostas são satisfatórias.

O poder germinativo das sementes de cedro geralmente ultrapassa 80% e a germinação ocorre entre dez e vinte dias após colocada em contato com o solo.

Como coletar as sementes.

Por se tratar de sementes aladas, cuja dispersão ocorre através dos ventos, geralmente, colhem-se os frutos duas ou três semanas antes da sua abertura natural.

A coloração do fruto, que passa de verde para um tom de marrom-claro, determina o período ideal para colheita, indicando a maturidade fisiológica da semente. Esse período ocorre entre 30 e 32 semanas após a floração.

Após a colheita, os frutos são levados para local seco e ventilado para completar a abertura natural, bem como a liberação das sementes.

As sementes de cedro não apresentam dormência, portanto, podem ser plantadas de imediato. Quanto a sua conservação, podem ser armazenadas a frio, que seu poder germinativo se mantém inalterado por dois anos

O cedro se desenvolve bem em cultivos consorciados, o plantio pode ser feito em linhas e, em vegetação matricial arbórea, o plantio também pode ser feito em clareiras nas matas e capoeiras.

Crescimento e produção

O cedro é uma espécie de crescimento relativamente rápido, podendo se comportar como espécie secundária inicial ou tardia e regenerando-se preferencialmente, em clareiras ou bordas de mata, conforme anteriormente destacado.

Finalidades e aplicação:

O cedro é destacado como madeira de lei, muito utilizado na indústria para confecção de móveis

Como fazer mudas de árvores frutíferas, reutilizando embalagens tetra pak

Como fazer mudas de árvores frutíferas, reutilizando embalagens tetra pak

Reutilização de Embalagem tetra pak como balainhos.

A Embalagem tetra pak poderá ser reutilizada com algumas vantagens pela sua resistência, servindo para confeccionar  balainhos eficientes para  receber diversas mudas de árvores frutíferas ou mesmo de madeira de lei da flora brasileira.

Como sabemos a embalagem tetra pak, devido a sua composição de várias camadas de materiais diversos, é um grande poluente para o meio ambiente, quando jogada em aterros sanitários.

Porém se cada embalagem reutilizada se transformar em uma árvore frondosa em nossos bosques ou matas, isso por si só, já quita seu débito com a natureza. Além de que, o contato destas embalagens, direto com o solo e com a umidade requerida nos viveiros de mudas, enquanto balainhos,  chegarão ao final do processo, época do transplante da muda em local definitivo, em estado de deterioração tão avançado, que  acabará restando praticamente apenas a lamínula de alumínio, que deverá ser recolhida e destinada a reciclagem.

 Para ver em detalhes como preparar uma embalagem tetra pak,  para virar um balainho clicar aqui

 

Como fazer mudas de Ipê branco – Tabebuia roseoalba

Como fazer mudas de Ipê branco

Árvores nativas do Brasil – Flora brasileira.

(Trees native to Brazil – Brazilian Flora)

(Nome científico:  (Tabebuia roseoalba)

 Propagação através de sementes.

As vagens do ipê branco devem ser coletadas antes da dispersão, pois se trata de sementes aladas. Assim evitará a perda das sementes, que na natureza são espalhadas pelo vento.

Após a coleta das vagens a extração das sementes é feita  manualmente.

As  sementes extraídas deverão ficar a sombra e em ambiente ventilado.

As sementes do ipê devem ser plantadas em poucos dias depois de colhidas, pois perdem o poder germinativo facilmente e tem que ser plantadas em até três meses, ou, numa segunda hipótese, depois de coletadas, se forem colocadas em vidros esterilizado, e hermeticamente fechados, resistirão até no máximo nove meses, se levadas para uma câmara fria.

A melhor maneira de plantá-las (para uma produção não industrial) será a de sementeira, ou seja: preparar em local sombreado, um canteiro, afofando bem  a terra que deverá ser de boa qualidade,  misturando em seguida  um pouco de material orgânico: esterco animal ou folhas em decomposição, homogeneizar bem para a aeração do solo… Em seguida, nivelar a superfície e na seqüência, distribuir as sementes, cobrindo-as com uma camada de terra de no máximo um centímetro…

Manter o local úmido sem encharcar…

Após as mudas atingirem mais ou menos dez centímetros, deverão ser transplantadas

em balainhos.

Após as mudas atingirem aproximadamente trinta centímetros, e depois de serem aclimatadas ao sol por um período de mais ou menos um mês, deverão ser transplantadas para seus lugares definitivos.

Obs.

–  Os ipês são plantas pouco exigentes e se desenvolvem em todo o território brasileiro,

–  As sementes não necessitam de quebra de dormência.

–  As sementes podem ser semeadas  diretamente nos balainhos.

–  A germinação ocorre após 30 dias e de 80%.

Nomes Populares

Ipê branco

Família : Bignoniaceae.

Como fazer mudas de Ipê roxo – Tabebuia avellanedae

Como fazer mudas de Ipê roxo

Árvores nativas do Brasil – Flora brasileira.

Trees native to Brazil – Brazilian Flora.

Nome científico:  Handroanthus impetiginosus, Tabebuia impetiginosa, Tabebuia avellanedae.

 Propagação através de sementes.

As vagens do ipê roxo devem ser coletadas antes da dispersão, pois se trata de sementes aladas. Assim evitará a perda das sementes, que na natureza são espalhadas pelo vento.

Após a coleta das vagens a extração das sementes é feita  manualmente.

As  sementes extraídas deverão ficar a sombra e em ambiente ventilado.

As sementes do ipê roxo devem ser plantadas em poucos dias depois de colhidas, pois perdem o poder germinativo facilmente e tem que ser plantadas em até três meses, ou, numa segunda hipótese, depois de coletadas, se forem colocadas em vidros esterilizado, e hermeticamente fechados, resistirão até no máximo nove meses, se levadas para uma câmara fria.

A melhor maneira de plantá-las (para uma produção não industrial) será a de sementeira, ou seja: preparar em local sombreado, um canteiro, afofando bem  a terra que deverá ser de boa qualidade,  misturando em seguida  um pouco de material orgânico: esterco animal ou folhas em decomposição, homogeneizar bem para a aeração do solo… Em seguida, nivelar a superfície e na sequência, distribuir as sementes, cobrindo-as com uma camada de terra de no máximo um centímetro…

Manter o local úmido sem encharcar…

Após as mudas atingirem mais ou menos dez centímetros, deverão ser transplantadas

em balainhos.

Após as mudas atingirem aproximadamente trinta centímetros, e depois de serem aclimatadas ao sol por um período de mais ou menos um mês, deverão ser transplantadas para seus lugares definitivos.

Obs.

–  Os ipês são plantas pouco exigentes e se desenvolvem em todo o território brasileiro,

–  As sementes não necessitam de quebra de dormência.

–  As sementes podem ser semeadas  diretamente nos balainhos.

–  A germinação ocorre após 30 dias e de 80%.

Nomes Populares

Ipê Roxo, Pau-d’arco, ipê roxo da mata, ipê preto, ipê rosa, ipê comum, ipê cavatã, lapacho, peúva, piúva.

Família : Bignoniaceae.

Se desejar ver um vídeo dessas árvores em pleno período de floração clicar aqui

Como fazer mudas de Ipê Amarelo – Tabebuia

Como fazer mudas de Ipê amarelo.

Árvores nativas do Brasil – Flora brasileira.

(Trees native to Brazil – Brazilian Flora)

(Nome científico: Tabebuia chrysotricha)

 Propagação através de sementes.

As vagens do ipê amarelo devem ser coletadas antes da dispersão, pois se trata de sementes aladas. Assim evitará a perda de sementes que na natureza, a sua disseminação, é feita através do vento.

Após a coleta das vagens, a extração das sementes é feita  manualmente.

As sementes extraídas, antes de serem plantadas  deverão ficar por pouco tempo em ambiente ventilado.

. As sementes do ipê amarelo perdem o poder germinativo facilmente e tem que ser plantadas em até três meses depois de coletadas, ou numa segunda hipótese, se forem colocadas em vidros esterilizados e hermeticamente fechados, se levadas em câmara fria, resistirão até no máximo 9 meses.

A melhor maneira de plantá-las (para uma produção não industrial) será a de sementeira, ou seja: preparar em local sombreado, um canteiro, afofando bem  a terra que deverá ser de boa qualidade,  misturando em seguida  um pouco de material orgânico: esterco animal ou folhas em decomposição, homogeneizar bem para a aeração do solo… Em seguida, nivelar a superfície e na seqüência, distribuir as sementes, cobrindo-as com uma camada de terra de no máximo um centímetro…

Manter o local úmido sem encharcar…

Após as mudas atingirem mais ou menos dez centímetros, deverão ser transplantadas

em balainhos.

Após as mudas atingirem aproximadamente trinta centímetros, e depois de serem aclimatadas ao sol por um período de mais ou menos um mês, deverão ser transplantadas para seus lugares definitivos.

As plantas deverão ser levadas para seus lugares definitivos na época das chuvas abundantes.

Obs.

–  Os ipês são plantas pouco exigentes e se desenvolvem em todo o território brasileiro,

–  As sementes não necessitam de quebra de dormência.

–  As sementes podem ser semeadas  diretamente nos balainhos.

–  A germinação ocorre após 30 dias e de 80%.

Nomes Populares

ipê-amarelo-cascudo, ipê-do-morro, ipê,

ipê-amarelo, aipé, ipê tabaco,

ipê-amarelo-paulista, pau-d’arco-amarelo.

 Para ver um vídeo destas árvores no período de floração clicar aqui